quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Resenha - O Pequeno Príncipe

“Primeiro preciso me desculpar com todos vocês leitores pela inatividade dos últimos dias. Não foi negligência e muito menos falta de tempo. Foi realmente falta de recursos, já que onde eu estava passando as minhas férias não havia computador e nenhum outro aparelho que eu pudesse fazer a atualização do blog Rio Navegante. Aos que me enviaram e-mails eu agradeço pela preocupação e digo que muitas resenhas ainda virão (pois tive tempo de sobra para ler pelo menos uns 15 livros rs).”
 Antoine de Saint-Exupéry

 Se um mundo encantado e paralelo é o que se espera de O Pequeno Príncipe, o leitor se enganou. Apesar de uma aventura infantil e dirigida para os iniciantes e jovens leitores, não há como negar que qualquer adulto que tenha esquecido a criança dentro de si irá se encantar com as viagens e descobertas do pequeno príncipe.
 Antoine de Saint-Exupéry soube criar uma narração em que qualquer um possa rever sentimentos antes esquecidos e acontecimentos já vividos, fazendo com que a imaginação seja novamente uma ferramenta de grande prazer. Sem mais delongas, vamos à resenha.


http://3.bp.blogspot.com/_4bxfKj6faNM/TJqRDcGN0zI/AAAAAAAAAGU/b-lXvlIUtB4/s1600/o_pequeno_principe2.jpgO Pequeno Príncipe
“O piloto não é um bom desenhista, mas hoje ele sabe resgatar o real valor dentro de cada pessoa ou objeto. Tudo isso é culpa do Pequeno Príncipe. O pequeno viajante que mostrou ao piloto a necessidade de captar a positividade e a essência de cada coisa, e como ela se desloca e se mantêm no universo. Como cada um pode encontrar a felicidade em tudo que é mínimo ou exercitar a imaginação de uma maneira tão sensata que é possível visitar planetas de reis, bêbados e homens de negócios (mais especificamente negociante de estrela).
 O Pequeno Príncipe nos leva a conhecer muitos lugares e pessoas diferentes, como o mundo do arrogante e prepotente rei, que vive sozinho e não há súditos para reinar. Ou então o mundo do bêbado, que bebe pra passar a vergonha de que bebe mesmo sem ter ninguém pra se envergonhar.
  O piloto vai aprendendo de pouco em pouco o amor indefeso e puro que brota da narrativa do Pequeno Príncipe. Assim como os conselhos da amiga raposa ainda não cativada, os anseios ingênuos do principezinho ou então a maldosa serpente que pretende levar definitivamente o Pequeno Príncipe.
 Presos no deserto, com fome, sede, calor e a mercê de uma longa história sobre soberbos, egoístas e ocupados por desocupações.
 Eles vão aprender que a beleza pode ir muito além da quantidade e que a verdadeira amizade está no que chamamos de observação."

"-Os homens esqueceram essa verdade - disse ainda a raposa - Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas..."

 Antoine de Saint-Exupéry

MANDE SEU E-MAIL PARA RIONAVEGANTE@HOTMAIL.COM E PEÇA SUAS RESENHAS E SINOPSES - O RIO NAVEGANTE REZA PELA LEI DO NÃO SPOILER

3 comentários:

  1. Oi Caroba, tudo bem?
    Adorei sua resenha. Este livro é lindo realmente, inesquecível para todos que o leem por suas mensagens.
    Saudades de vc, bjus e muito sucesso.
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Jon, nunca li o livro, só assistia bastante o desenho e me sinto muito melancolica com ele. Mas gostei muito da sua resenha, ficou muito boa.
    Território das garotas
    @territoriodg
    Bjss *-*
    http://territoriodascompradorasdelivro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Esse esta na minha lista de leitura, com certeza!!!

    ResponderExcluir

Manifeste-se aqui e deixe um comentário dizendo o que achou do post. Sugira, critique e questione!

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More